«O pouco, partilhado com amor, nunca acaba, mas transforma-se em reserva de vida e felicidade»

 Papa Francisco

Prezado leitor, este artigo faz parte de um programa de transformação pessoal (Saúde Integral) que te dou com todo o meu amor como presente. Meu desejo é que ele te seja útil, que te ajude a trazer mais alegria, satisfação e beleza à tua vida, e que também revele o esplendor criativo que existe dentro de ti.

Introdução

Chegou a hora de aceitar a verdade de quem somos e por que estamos aqui. Assumir a natureza criadora herdada à nascença e fazer da vida uma festa. O mundo está envolto num gigantesco processo de mudança radical. Entrar e acompanhar esse fluxo de renovação é o objetivo de todos que procuram uma vida com sentido. Sei que não é fácil, apesar de ser simples e lógico…, porquê? Fomos ensinados na competição. Só gostam de nós se formos os melhores alunos; os melhores filhos; os melhores; os melhores; os melhores…, sempre os melhores…, se nos deixarmos envolver nessa demência acabaremos invariavelmente, sem vida; vazios, frustrados e doentes. Eu mesmo, passei 2/3 da minha vida, na alta competição da luta pela sobrevivência. Na maioria das lutas em que me envolvi; saí aparentemente “vencedor”. Cedo comecei a perceber, que quanto mais vitórias somava, mais vazio e estéril me tornava. Senti-me burlado e usado pelo sistema, quando me apercebi, que no mundo cruel da competição, nunca há vencedores. Todos saem vencidos.

   Já passaram mais de vinte anos que saí desse inferno existencial e entrei no processo e fluxo da vida.

–  Hoje, apesar do aparente caos em que o mundo se encontra, sou um homem feliz e realizado, que quer partilhar contigo a minha experiência. Minha vida aparentava ser uma vida de sucesso e realização, bom casamento, bons filhos, boa casa, bons carros, férias nos melhores lugares, enfim…, tudo aquilo que fazia parte de uma vida bem-sucedida. Diziam: “tem tudo para ser feliz”. Mas na verdade, debaixo dessa aparência, existia um homem insatisfeito, cheio de tudo, mas vazio de afeto e pleno de tristeza. Não me vou demorar na minha vida de aparência sem sentido…, o importante é saber que há uma saída e estou muito feliz por ser eu a mostrar-te essa saída.

O que vou partilhar contigo, não se limita somente ao meu êxodo do inferno existencial, para o mundo maravilhoso em que me encontro hoje. Quero também partilhar o que aprendi com todos aqueles, que ao longo das duas últimas décadas têm passado pela Casa Escola António Shiva®, buscando a Saúde Integral, “uma vida em abundância”.

Então vem daí; hoje vais ficar a saber, qual a razão de tanta ansiedade, depressão e doença no mundo. A causa elementar da tristeza e sofrimento é a forma como nos observamos, vemos os outros e enxergamos o mundo, universo e Deus.

Vamos lá…, vou te mostrar tudo de uma forma simples e fácil. Antes de saberes qual o primeiro passo que é preciso dar, para sair do lugar viciado em que te encontras, e chegar onde queres estar, precisas de saber algo fundamental em relação ao universo em que estamos inserido.

O universo em que estamos inseridos, do qual fazemos parte integrante, é feito de abundância, e a moeda de troca chama-se energia. Tudo é energia em constante fluxo (mudança).

Entrar no processo e fluxo da vida, é a primeira tomada de consciência, de quem está no caminho de uma vida maravilhosa (saúde integral). Vou te mostrar como entrar nesse fluxo ou dança da vida.

Como funciona?

Então…, acompanha-me neste momento, e delicia-te com a vida em abundância. O universo é constituído de pura energia, que flui (o baile da vida é uma dança contínua). O estado natural da vida é de fluxo e de mudança constantes. Ao aceitarmos plenamente este princípio, entramos no ritmo, e somos capazes de dar e receber continuamente, conscientes que nunca perdemos nada e que ganhamos incessantemente.

Como fazer?

O primeiro passo é assumir o comando de nossa vida (ser o condutor, não o conduzido). Que é o mesmo que assumir a responsabilidade pela realidade. É na tomada de posse da realidade consciente que cada um nós experimenta, que o milagre acontece (salto de órbita). Salta-se do mundo da competição (luta pela sobrevivência), para o mundo do fluxo criativo ou mundo da abundância. Logo que entramos no processo e fluxo da vida (universo), recebemos sem sessar tudo que precisamos para nosso bem-estar e realização pessoal, sentimos um desejo incontrolável de partilhar com os outros tudo quanto temos. Começamos a perceber que, quanto mais distribuímos a nossa energia, mais espaço abrimos para que a abundância flua dentro de nós, cada vez mais e mais. Quanto mais dou mais tenho.

É verdade, que apesar de ser muito simples, não é tão fácil assim. Porquê? Estamos há muito tempo dependentes do Ego. Até já nos confundimos com ele. Temos lhe dado o poder de governar a nossas vidas. Por isso fazemos coisas contra nós mesmos, convictos que estamos certos (a própria organização mundial da saúde OMS, nos alerta para os 85% das doenças serem psicossomáticas). Ninguém certamente quer criar doença como um cancro, uma diabetes, um Parkinson, um Alzheimer, etc., etc. mas na verdade, esta é a realidade num mundo de competição e luta pela sobrevivência.

Vê bem: Todos nascemos com o mesmo direito à vida (sermos felizes e realizados). Mas não o somos porquê? Quando nos agarramos ao que temos, e o não partilhamos…, estamos inseguros. Com medo de que não haja o suficiente (que nos possa fazer falta). Esta postura em relação à vida, revela falta de confiança, no processo e fluxo da vida. E automaticamente, o fluxo contínuo de tudo que precisamos, para nosso bem-estar, sucesso e riqueza (realização pessoal) é simplesmente bloqueado.

Desculpa eu insistir.

Tudo é feito de energia. Por outras palavras a energia assume as formas de tudo que existe, visível e invisível. Desde toda a espécie de bens materiais como casa carro, dinheiro etc. como também amor, afeição, reconhecimento, amizade, simpatia, autoestima, alegria, paz interior, sabedoria, enfim… infinitas possibilidades.

Podes comprovar isto com facilidade, se ainda estas no “mote sobrevivência”. Se estivermos atentos, e observarmos o mundo a nossa volta, percebemos que também se bloqueia o processo e fluxo do bem-estar quando nos ressentimos. As pessoas ressentidas assumem uma atitude critica em relação à vida, criando vários tipos de carências. São insatisfeitas com o mundo e cobram das pessoas que a rodeiam. Querem ser alegres e felizes, mas bloqueiam o fluxo agarradas a situação de sofrimento (mágoas e chagas que teimam manter vivas), criando fisicamente doenças crónicas (psicossomáticas que já falei atrás).

Qualquer pessoa carente, infeliz e doente pode reverter essa situação. Como?

É muito simples…, primeiro precisa de estar cansado de sofrer e admitir que sofrer não faz sentido (Sofrer é negar o processo e fluxo da vida).

Segundo – assumir a responsabilidade total por tudo que está na sua realidade.

Terceiro – escolher o sentimento de amor (aceitação) perante todas as situações do quotidiano.

Quarto – decidir que metas quer atingir (somos seres dotados do poder divino de criar; sem metas negamos a nossa missão divina no mundo e na humanidade. Somos simplesmente células cancerígenas da humanidade).

Resumindo:

Tudo começa no decidir por uma vida com sentido. E para isso troca-se a luta pela sobrevivência, pela confiança no processo e fluxo da vida. De imediato a autopiedade, a ansiedade, a dúvida, o ceticismo são transformados em confiança, alegria, paz interior e abundância. Na verdade, o fluxo de felicidade só pode ser encontrado através do amor (ACEITAÇÃO).  

A verdade é, que cada um de nós é em sua essência amor, e possui um potencial inesgotável de realização (felicidade). Na luta pela sobrevivência, fomos adestrados a pensar que precisamos lutar por algo exterior para podermos ser amados, realizados e felizes. Mas como todos já demos conta, essa procura fora de nós só nos traz dor sofrimento infelicidade doença.

Neste programa de Saúde Integral da Casa Escola António Shiva®, vais aprender de uma forma simples e fácil e entrar no processo e fluxo da vida, permitindo que a fonte inesgotável de alegria e felicidade fluem de dentro de ti, para compartilhares com toda a humanidade. Não porque seja altruísta compartilhar alegria, abundância e amor, mas sim pelo prazer que isso te dará. Quanto mais feliz te sentes mais vontade existe de a partilhar.

Sabes porquê?

Se estiveres minimamente atento, reconheces que essa é a prática da Casa Escola António Shiva®, há mais de 20 anos. Consoante partilhamos a energia inesgotável que fluir de nós, mais espaço criamos para que nova riqueza inesgotável se crie para continuar a partilhar. Por outras palavras, quanto mais damos ao mundo, mais riquezas inesgotáveis jorram sobre nós. A fonte é inesgotável.

Continuação

Pin It on Pinterest

Share This