Viver é uma decisão consciente

    Ângela Barnabé
    Por Ângela Barnabé

    Cada vez mais tenho consciência que a forma como a minha vida flui é da minha inteira responsabilidade. Não só tenho o poder de decidir como agir perante determinado acontecimento, como interfiro naquilo que não consigo ver, naquilo que está para lá da minha conceção da realidade.

    Não sei neste momento o que irá acontecer amanhã, mas sei que se hoje me sentir bem, se estiver grata àquilo que me é apresentado, provavelmente farei com que o dia de amanhã flua de uma maneira muito melhor do que se estivesse em negação à vida hoje.

    Viver não é simplesmente existir e ver passar o tempo; viver é uma decisão consciente de colaborar e interagir com tudo o que me rodeia para poder criar uma realidade e um mundo melhor.

    Ainda dou por mim distraída com coisas que não interessam, esquecendo-me que todos esses momentos estão a criar e a interferir com a realidade que experiencio. Mas, mais rapidamente do que antes, saio desse estado e questiono-me se o que estou a fazer me acrescenta algo.

    Em muitos momentos sou “abanada pela vida”, seja por me encontrar com alguém que me traz alguma mensagem, seja por uma mudança naquilo que estou habituada. Nesses momentos tenho a oportunidade de rever os meus conceitos e a forma como ajo em relação ao fluxo e processo da vida.

    Mas a questão é que tudo aquilo que eu preciso está aqui sempre e não preciso esperar por grandes momentos para despertar. Posso simplesmente tentar manter-me acordada ou se isso ainda não for possível, decidir conscientemente despertar e apreciar a vida.

    Obrigado por este dia!

    Ângela Barnabé

    Foto original de Irina Iriser no Pexels