1ª parte

Existe um outro modo de olhar para o mundo

Curso em milagres

É importante que cada um de nós assuma a responsabilidade pela realidade que vive (experimenta). Apesar de ser uma frase muito batida, a verdade é que sem assumirmos a responsabilidade por tudo que está na nossa vida, não passamos de uma folha sem vida (vítima), a boiar no mar da vida, ao sabor dos ventos. Já todos sabemos (temos consciência) que a saúde só é real se for integral (em todas as áreas da vida). Assim, a saúde do corpo físico jamais pode ser separada dos relacionamentos saudáveis, da satisfação e realização pessoal, assim como da saúde financeira, do amor, da alegria, enfim, de Deus. É o separar o espiritual do material (materialismo dualista) que nos leva ao julgamento e a toda a espécie de sofrimento. Apesar de ser outra frase muito batida, anunciada pelo Nazareno há 2000 anos, entrou de novo na moda e enche a boca dos espiritualistas “New Age”.

É preciso acordar e enxergar que estamos errados em reprimir os nossos potenciais divinos em prol de uma “normalidade”. Somos natureza. E nós, os humanos, somos de todos os reinos da natureza os que possuímos o poder divino de criar. Cada ser humano é uma célula da humanidade, dotada do poder de Deus (o poder de criar). Apesar de não escrever nada que já não saibas, e de há milhares de anos ser o mote dos iluminados de todas as épocas (despertai), a verdade é continuamos adormecidos neste submundo separatista/dualista.

O cerco da inteligência artificial e da nanotecnologia aperta e o despertar ou continuar adormecido, já não é uma opção de escolha entre “o conforto” da vítima adormecida, que adia o acordar e o oportunista agressor, que se aproveita da sua dormência. O despertar individual é uma questão de vida ou de morte. E a comprovar o que escrevo, temos o atual COVID e a suposta “pandemia”. 

Agora vou tentar explicar porque é uma questão de vida ou de morte. Apesar de sempre ter sido assim, e a OMS alertar sempre para o facto de que tudo começa na Consciência e de que TODAS as doenças crónicas são psicossomáticas, a sonolência é tão grande, que continuamos a querer remediar, em vez de mudar e acabar de uma vez com o problema.

Mas a verdade é que vivemos num universo em evolução constante, e a natureza da qual fazemos parte integrante, evolui ao mesmo ritmo do universo. Não podemos continuar adormecidos no velho paradigma newtoniano/cartesiano. Ou seja as soluções antigas, não se aplicam as necessidades atuais.

Então como é?

A realidade de cada um de nós é o mapa do caminho. E para se compreender o mapa, temos de começar por aceitar o princípio de que a causa do que nos tira a felicidade está no nosso interior. Da mesma forma que é verdade que os vírus, micróbios e bactérias causam a doença e os “acidentes” causam lesões, escoriações, feridas…, também é verdade que isso acontece em consequência do que se passa na consciência da pessoa envolvida. Os vírus estão e sempre estiveram por todo o lado (fazem parte da natureza). Porque é que algumas pessoas são afetadas e outras não? Porque algo diferente se passa nas suas consciências. Porque é que há doentes nos hospitais que respondem de forma favorável aos tratamentos, e outros não? Porque têm perceções diferentes. Porque algo diferente se passa nas suas consciências. Quando alguém se magoa num “acidente”, porque é que é numa parte muito especifica do corpo, exatamente na parte do corpo que, geralmente, tem problemas? Será isso um “acidente”, ou haverá um padrão e uma ordem na forma como as coisas acontecem no nosso corpo e na nossa vida? Porque é que os melhores alunos de uma turma não são os mais bem-sucedidos na vida? Porque é que uns enriquecem e são realizados e felizes e outros empobrecem e vivem miseravelmente? É tudo uma questão de consciência.

Como funciona?

Todos sabemos que o mundo materialista dualista (tridimensional) que estamos habituados, está a mudar a uma velocidade estonteante, para uma realidade unicista em que não há separação possível (espiritual/material), e nunca mais voltará a realidade antiga. Também, todos sabemos que ninguém ensina nada a ninguém (tudo já está dentro de cada um de nós) e que a humanidade e o mundo despertam para o princípio da incerteza. Que graças ao facto de nada poder ser previsível, expandimos a mente ao encontro das possibilidades infinitas. Inicialmente pode parecer confuso, para uma mente adormecida (limitada) no paradigma dualista do mundo tridimensional. Mas se estiver disposto a despertar para a vida (evolução/mudança), vai aceitar que através da incerteza nos abrimos às possibilidades infinitas deste universo maravilhoso. Na verdade, nunca ninguém pode prever o amanhã. Mas o fazer as coisas de uma maneira conhecida, dariam um resultado idêntico. Por outras palavras, não podemos ter resultados diferentes, se fizermos as coisas da mesma maneira.

Então vejamos; apesar de não podemos prever exatamente o que vai acontecer, porque será a forma como o fazemos, e não o que fazemos, que vai determinar para cada um de nós o resultado (Sucesso ou Fracasso). Também existe a um fator importantíssimo que define se o resultado vem pleno de realização ou pleno de frustração. Eu vou explicar melhor. Agora faço-o de forma um pouco superficial, para que o artigo não se torne muito longo, mas no próximo artigo aprofundo estes dois aspetos fundamentais para a compreensão da realidade (Mapa).

O primeiro passo – (admitir o problema) – é reconhecermos que a realidade que experimentamos, já não nos faz feliz. Só assim poderemos desejar outra realidade. Porque não importa se estamos doentes em sofrimento ou atolados na pobreza. É preciso que estejamos cansados do sofrimento e da pobreza (é uma questão de consciência).

O segundo passo – (Solução) – Todo o problema tem solução perfeita e criativa – ter consciência desta premissa ensinada por Jesus, é encontrar a chave que abre a porta da realização (felicidade).

Terceiro passo – (Ação) – estabelecer novos objetivos pessoais – não importa qual é área da nossa realidade (mapa), que entrou em falência, em que a (rotura/insatisfação) é mais evidente. Reparar as roturas e mudar o rumo. Aqui é necessário a ajuda de um conselheiro profissional, para não correr o risco de entramos em círculos viciosos (hoje é muito comum as situações dramáticas, próximas da demência, em muitos membros da comunidade terapêutica New Age, e de muitos profissionais convencionais e das terapêuticas alternativas).

Como artigo já está a ficar longo, e estamos a falar de soluções perfeitas e criativas, para uma vida com qualidade, e não de palha para encher, vou deixar para o próximo artigo informações importantes adquiridas ao longo dos últimos quarenta anos, que fazem a diferença e definem porque o sucesso nos pode levar ao fracasso existencial e principalmente porque é que apesar de todos aprenderem na mesma cartilha, e fazerem da mesma maneira, uns enriquecem e realizam-se e outros empobrecem e depauperam a qualidade de vida.

Por favor não hesites, coloca dúvidas e apresenta as tuas experiências adquiridas, junto participamos na criação de um mundo bem melhor.

Obrigado por fazeres parte da minha realidade e do meu mundo,

António Teixeira Fernandes

Pin It on Pinterest

Share This