Alimentação, Alimento & saúde

Alimentação, Alimento & saúde

“Nem só de pão vive o homem”

Disse Jesus

Chegam todos os dias questões sobre alimentação. Embora seja naturopata de formação, tenho me dedicado nos últimos vinte anos à medicina quântica, impulsionadora da saúde integral. Não sou nutricionista, nem amante dessa prática reducionista. A indústria da doença já é bem poderosa, não precisa de mais ajudas.

Respeito todo o tipo de dietas e não tenho por hábito fazer proibições ou restrições alimentares aos meus clientes. Costumo dar-lhe uma clara informação sobre os alimentos e a sua boa absorção. Cito muitas vezes as palavras de Jesus à multidão (Mateus 15):

“Ouvi e entendei! Não é o que entra pela boca o que torna uma pessoa impura, mas o que sai da boca, isto sim, corrompe a pessoa”.

Sei que a maioria dos meus colegas e os gurus da internet ficam escandalizados com a minha postura flexível em relação à alimentação dentro de uma saúde integral. Fazem-me recordar mais uma vez os versículos bíblicos seguintes às palavras de Jesus:

“Então, aproximando-se dele os discípulos, avisaram: “Sabes que os fariseus se ofenderam quando ouviram essas tuas palavras?”.

Concordo com a OMS que diz “cerca de 50% da mortalidade por doenças crónicas pode ser atribuída a fatores do estilo de vida das pessoas. A alimentação está entre esses fatores, em conjunto com o hábito de fumar e o de beber álcool em excesso.”
Se analisarmos o texto da OMS “cerca de 50% da mortalidade por doenças crónicas pode ser atribuída à fatores do estilo de vida das pessoas”, até aqui correto. Os estilos de vida resultam da forma como se vê a vida. Nunca ninguém conheceu uma pessoa alegre e feliz sofrer de anemia, certo? Ou conheceu? A alimentação é a mesma coisa. Uma pessoa que está de bem consigo e com a vida não vai se drogar, embebedar ou se envenenar com alimentação tóxica. Segundo a mesma OMS, 85 % das doenças são psicossomáticas. Se são psicossomáticas, significa que resultam de criações mentais, que se manifestam nos diversos sistemas que constituem o nosso corpo. Vejamos alguns exemplos de doenças psicossomáticas: gastrointestinal (refluxo, úlcera, gastrite, colite, etc….); respiratório (enfisema, asma, cancro do pulmão, rinite, sinusite, tuberculose, bronquite… ); cardiovascular (hipertensão, taquicardia, angina, angina de peito, enfarte agudo do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais (AVC), cardiopatia hipertensiva, febre reumática, arritmia cardíaca, etc….); dermatológico (vitiligo, psoríase, dermatite, herpes, urticária, eczema, etc….); endócrino e metabólico (diabetes); nervoso (enxaqueca,
vertigens); das articulações (artrite, artrose, tendinite, reumatismos).

Enfim…,

perante esta realidade será que se justifica este folclore em volta da alimentação saudável? Não seria melhor irmos à causa de todos os problemas (em vez de sermos os “tolinhos” que criamos as nossas fontes de sofrimento para que não falte emprego aos pobres empregados da indústria da doença)?

O paradigma com que alimentamos as nossas mentes de onde resultam pensamentos, sentimentos e emoções?
As consequências desastrosas da escravidão de uma alimentação saudável. Já convivi de perto com pessoas radicais em relação à alimentação, vou relatar um exemplo e partilhar duas ou três situações, que marcaram profundamente a
minha carreira. Aqui na Casa Escola António Shiva temos o quarto Hulda Clark, o quarto onde ficou hospedada durante a sua estadia em Portugal, a cientista que mais trabalhou na investigação da cura do cancro e de outras doenças graves. Deixou um manancial de informação magníficas para o mundo distribuídos por sete livros, dos quais destaco “The Cure for all Diseases”, “The Cure for HIV and Aids” e “The Cure for all Cancers”. Hulda R. Clark, recordo-a como uma escrava de uma alimentação 100% saudável, que não a defendeu do cancro que a levou à morte em setembro de 2009. Como ela convivi com outros amantes da alimentação “100% saudável” que procuravam a minha ajuda já em fase terminal das suas vidas. Foram casos extremamente dolorosos, que me deixaram marcas até hoje.

ATENÇÃO: não sou contra uma boa alimentação, pelo contrário, e no nosso espaço, na casa escola António Shiva servimos um variado tipo de dietas, desde a crudívora à mediterrânica, passando pela vegetariana, vegan, hindu ou goesa. Eu, que também tinha aprendido na escola superior de medicina natural que a saúde entrava pela boca, rapidamente percebi que isso era assim…, mas não era bem assim.

O que pretendo dizer com isto?

Quando se está bem, o nosso corpo não pede alimentos tóxicos, quer alimentos que mantenham essa boa disposição. Só quando nos encontramos emocionalmente mal é que existem os exageros alimentares e por consequência a intoxicação (envenenamento).
Mas tem mais…, Muitas vezes fico com a sensação que me encontro mergulhado na mais profunda ignorância, quando tratamos ou tentamos tratar o corpo como ele fosse um saco de carne sem inteligência. Como não fosse ele quem melhor sabe como fazer. Todos os que estudaram Hipócrates (ATENÇÃO, não os que fizeram o juramento de Hipócrates), sabem que só podemos ajudar o corpo a curar-se facilitando o seu trabalho de recuperação.

Como…? Limpando-o (desintoxicando venenos emocionais e físicos, exercício e ar livre) e repondo carências (nutrientes, minerais e vitaminas)…, tudo o que se fizer além dessas duas ações é mutilar e envenenar.
Quanto aos alimentos bons ou maus eu vou escolher mais duas das várias passagens bíblicas (hoje deu-me para isto) que falam do alimento.

Em Timóteo 4:4,5Pois tudo o que Deus criou é bom, e nada deve ser rejeitado, se puder ser recebido com ações de graças”. E fecho com Tito 1:15 que resume tudo que quis dizer neste artigo : “Para as pessoas puras, tudo é puro; no entanto, para os corrompidos e descrentes, nada é puro; pelo contrário, tanto a razão quanto a consciência deles estão pervertidas”.
Não o canso mais, gostava de falar da obsessão por alimentação saudável, mas fica para uma próxima, o artigo já vai longo. Recordo que lembro sempre os meus clientes que o estômago não é um “caixote do lixo”, mas não posso pactuar com dietas que somente esgotam e desequilibram o organismo. Um corpo só pode ser são se a mente estiver sã.

Mas também gostava de ter a sua opinião e o sentimento que este artigo lhe despertou. Eu só partilhei a minha experiência, porque não partilha a sua?

Incondicionalmente disponível,
António Teixeira Fernandes

DESMISTIFICAR “O PROBLEMA”

DESMISTIFICAR “O PROBLEMA”

DESMISTIFICAR “O PROBLEMA”

É preciso alguma ousadia para falar de desmitificação do problema num mundo de pessoas ansiosas, confusas, desanimadas com os casos que sucedem por toda aparte. No artigo anterior falei que “HÁ SOLUÇÃO” e neste vou dar-te um método com que podes resolver de uma forma simples qualquer problema.

Mas antes é preciso desmascarar o conceito errado que se foi criando com “o problema”. Sem esta desmistificação, “o problema” é uma coisa chata ou desagradável, apesar de hoje o floreado new age lhe chamar “desafio”. Na verdade, a esmagadora maioria dos problemas não são desagradáveis…, pelo contrário são bem estimulantes. Não sei precisar bem quando se adquiriu o conceito de que “o problema” deve ser algo a evitar. Mas não vamos por aí agora, num próximo artigo prometo aprofundar mais esse fenómeno.

A forma simples e divertida de chegar à solução de qualquer problema não tem nada de inédito e foi aprendido na minha instrução primária quando tinha 8 anos e há mais de meio século que resolvo os meus “problemas” com este método e tenho ajudado milhares de pessoas de todo o mundo a fazê-lo também.
1º passo – Definir o problema
Agarra numa caneta e papel e define de forma assertiva, explícita e rigorosa o teu problema.
2º passo – Liberta-te qualquer preconceito em relação à causa do problema e assume 100% a responsabilidade por ele (sem este passo, o problema, nunca terá uma solução perfeita).
3º Passo – Depois de assumires 100% da responsabilidade, acede ao campo das infinitas possibilidades. Aceita a solução perfeita.
4º passo – Passa a ação – põe em prática a solução perfeita – apesar de poder muitas vezes se apresentar como “impossível” não pode falhar.

Se percorreste os 4 passos como descritos, certamente que o resultado é a solução que precisas no momento.
Na verdade, logo que aceitamos o problema já temos a solução. Porque nem a palavra problema poderia existir se não existisse a solução perfeita. Infelizmente, por ignorância, muitas vezes tentamos justificar ou procurar responsáveis para os nossos problemas, afastando irreversivelmente a solução.
Se ainda estás agarrado aos velhos preconceitos materialistas e ainda não consegues percorrer os quatro passos que te levam à solução perfeita e criativa do teu problema…, não desanimes a Casa Escola António Shiva tem uma rúbrica disponível 24 horas por dia para te ajudar na solução dos teus problemas. https://antoniofernandes.solucaoperfeita.com/saude-integral-solucao/
Não hesites.
Aguardo convicto do teu sucesso,
António Fernandes

HÁ SOLUÇÃO

HÁ SOLUÇÃO

HÁ SOLUÇÃO

Antes de te mostrar como é simples e fácil viver seguro, alegre e feliz, preciso fazer uma pequena, mas importante chamada de atenção.

É imperioso admitir que problemas e situações desagradáveis multiplicam-se no mundo materialista de hoje. Falei em materialismo, porque casos desagradáveis e problemas resultam (são fruto) de uma visão materialista/dualista da realidade.

De uma forma simples e prática vou mostrar-te como se cria um problema ou uma situação desagradável, só pela forma com que encaramos uma situação. O mundo já mudou e é urgente mudarmos para o paradigma do novo mundo.

Marco Aurélio, talvez o imperador mais sábio do império Romano, escreveu certa manhã no seu diário: «Hoje vou estar com pessoas que falam demais… ingratas e egoístas. Mas não ficarei surpreendido e muito menos incomodado, pois não conseguiria conceber um mundo sem essas pessoas».

Mas na verdade o mundo já mudou e o paradigma é outro, apesar da sabedoria do grande imperador Romano, hoje podemos ter uma visão muito mais ampla da realidade e a sabedoria do grande imperador tornar-se quase uma blasfémia, perante a visão iluminada do novo mundo. Se nesta nova era permanecermos agarrados aos preconceitos do passado, é verdade que vivemos rodeados de pessoas maldosas, egoístas, ingratas e violentas; e quem ainda vê telejornais alimenta-se disso diariamente. Mas…, se em vez de julgarmos pela aparência, abrirmos a mente e o coração, tudo muda de figura. As pessoas são violentas, maldosas, egocêntricas, porque se encontram aterrorizadas e infelizes.

Ou será que uma pessoa feliz pode desejar ou querer fazer o mal a alguém?

Claro que não…, uma pessoa feliz é um farol que irradia, alegria, serenidade, e bem-estar no mundo que habita. Não só irradia como envolve de amor tudo o que toca. Da mesma forma que a violência resulta do medo, quanto maior o medo maior a violência.

Assim podemos desde já desmascarar os horrores que nos trazem diariamente os telejornais de todo o mundo. Assim maldade e violência resultam da infelicidade e do pavor em que os seus intervenientes estão mergulhados.

SÓ MUDANDO O PARADIGMA / MUDA A REALIDADE

Consoante vamos tomando consciência desta realidade, um novo mundo de paz, alegria e amor vai tomando forma. Enquanto não tomamos consciência, continuamos a usar o velho paradigma, criando e alimentando a violência, ansiedade, depressão, doença, tudo o que nos possa trazer culpa, medo, dor, sofrimento, infelicidade. É verdade que ninguém pode ver o que não consegue enxergar e qualquer um tem a liberdade de ver através de um preconceito que lhe traga dor ou através da nova visão (de nova pouco tem já o mestre a 2000 anos a anunciou) espiritualista do mundo.

Somos livres de continuar a fazer como temos feito ou melhorar.

COMO FAZER SE ESTAMOS MERGULHADOS NO PROBLEMA?

Como sair?

A Casa Escola António Shiva tem aberto, 24 horas por dia, um lugar onde pode colocar a sua situação.: https://antoniofernandes.solucaoperfeita.com/saude-integral-solucao/

É um serviço gratuito, que tem ajudado pessoas de todo o mundo, a encontrarem não só uma solução perfeita e criativa para o seu problema, mas também enxergar a bênção onde antes só se conseguia ver uma crise.

Não quero me alongar mais. Mas se estás envolvido num ou mais casos desagradáveis ou te sentes deprimido, ansioso, doente…, mesmo que julgues que o teu problema não tem solução, não hesites… coloca a tua situação.

Há sempre uma solução perfeita para cada problema.

António Fernandes

 

 

Pin It on Pinterest